Artigos

Últimas

Primeiro de maio: de 1886 à 2017, o que mudou?

Jornadas de trabalho excessivas, direitos escassos, “negociação” patrão e empregado sobrepondo-se à leis trabalhistas, pouco tempo para almoço… incrivelmente, o contexto atual no Brasil é extremamente semelhante a aquele que deu origem ao dia que hoje é o feriado conhecido como primeiro de maio. Mais que um dia para faltar ao trabalho e à escola, ou um dia de saldar o trabalhador, o dia primeiro de maio é um dia histórico de luta, conquista e sangue.

Read More

Sobre a tática Black Bloc nos movimentos populares do Rio de Janeiro

As jornadas de junho de 2013 alcançaram seu objetivo específico, a redução da passagem, mas como não havia horizonte estratégico bem desenhado, isto é, como não se tinha em mente qual seria o próximo passo, qual seria o novo objetivo especifico – a maioria das pessoas nem acreditava na vitória –, como as formas de intervenção não preparavam para um novo estágio organizativo, o recuo foi inevitável. A tática da revolta popular (denominada assim pelo blog Passa palavra) mostrou seus limites devido a transformação dos meios em finalidades e pela ausência de perspectivas.

Read More

A PEC 241 e os movimentos conservadores anti-ocupação, o que há em comum entre eles?

A PEC 241/55 pretende congelar os investimentos nos serviços essenciais para a população por 20 anos e com isso, redirecionar tais recursos para grandes empresárias/os do sistema financeiro. Como reação a tais medidas de austeridade, estudantes e trabalhadoras/es em geral se organizam e as ocupações se espalham pelas universidades e escolas. No entanto, grupos conservadores se organizam para tentar impedir as ocupações e garantir o desenvolvimento do neoliberalismo no Brasil.

Read More

Por que a favela grita que "a UPP também é ditadura"?

Nos últimos meses a população de várias favelas do Rio de Janeiro está se organizando contra a massiva repressão das Unidades da Polícia Pacificadora – UPP. Junto aos gritos de “UPP também é ditadura” e “UPP chegou para matar trabalhador”, os moradores têm protestado e denunciado uma falsa política de segurança que se restringe à mais opressão da população pobre e marginalizada.

Read More

Páginas