Mais populares

Mais populares

O debate sobre segurança pública em tempos de pós-verdade

Março 14, 2019 - 01:29
Publicado em:
0 comments

Já há algum tempo, intelectuais, acadêmicos(as) e militantes do campo progressista que debatem assuntos relacionados à área da segurança pública vêm sendo acusados(as) de complacência com criminosos e de apresentarem argumentos deveras sentimentais. Parece ridículo que, em tempos de laranjas, a atual direita brasileira possa acusar alguém de complacência com criminosos, mas acontece.

Caderno do encontro Anual 2013

Fevereiro 03, 2014 - 14:25
0 comments

O caderno “Economias Coletivas” apresenta o acúmulo do encontro “Economias Coletivas” do 24/11. Disponibilizamos 3 arquivos. É possível acessá-los e baixá-los nos links abaixo ou entrar em “Arquivos”. O primeiro é o caderno completo para a leitura na tela ou para impressão em folhas A4. O segundo arquivo é o pdf com a sequência de folhas para quem tenha um impressora que imprime frente e verso. Escolhendo a função “frente e verso” e 2 páginas por folha sai um caderno tamanho A5 com 24 páginas. O terceiro arquivo é menos pesado e une os textos do caderno, sem as páginas com fotos. Utilizem o material a vontade, imprimam, repassem, estudem, discutam, deem retorno e tudo mais. Viva o coletivo!

Rede Economias Coletivas

Reitoria da UFF é ocupada por estudantes!

Agosto 25, 2011 - 19:16
Publicado em:
0 comments

Carta Aberta

Niterói, 24 de agosto de 2011, quarta-feira.

Nós, os estudantes que estamos ocupando a reitoria da UFF, o Movimento Ação Direta (MAD) e ativistas independentes, ocupamos pacificamente o sétimo andar com intuito de abrir o diálogo com toda a comunidade acadêmica e civil de Niterói sobre a imposição de diversos projetos arquitetônicos, entre eles Via Orla e Via 100.

As Expectativas Frustradas do Início do Século XXI

Maio 05, 2012 - 14:25
Publicado em:
0 comments

Wallace dos Santos de Moraes – outono de 2012 [*]

O século XXI começou com a maior potência econômica e militar do mundo sofrendo o maior ataque em seu território de sua história. Na Europa, os movimentos anti-globalização marcaram presença em todos os encontros das elites políticas e econômicas mundiais, demonstrando sua insatisfação com as desigualdades e ataques ambientais produzidos por um sistema que coloca o lucro acima da vida. A América Latina começou o século em polvorosa com movimentos indígenas em alguns de seus países e populares mais amplos em outros, criticando o neoliberalismo impenitente. No Brasil, o século passado terminou com um grande movimento de trabalhadores rurais sem terra, ocupando e denunciando o latifúndio, prometendo muito para o século XXI. Quais foram os resultados práticos de mudanças desses movimentos pelo mundo?

05 de Junho: dia de luta na América Latina contra o plano IIRSA

Maio 30, 2011 - 15:43
0 comments

As organizações que fazem parte do Encontro Latino Americano de Organizações Populares Autônomas (ELAOPA) firmaram o compromisso de luta continental para o próximo dia 5 de Junho. Esta data é para fazer memória aos dois anos do massacre indígena em Bagua no Peru, num conflito que resultou em dezenas de mortos e simboliza a resistência dos povos latino americanos contra o Plano IIRSA.

Atualização sobre ocupação da Reitoria da UFF

Setembro 03, 2011 - 19:46
Publicado em:
0 comments

Quarta-feira 24/08/11 às 16h15min, estudantes ativistas independentes ou vinculados a movimentos diversos, tais como o Movimento Ação Direta (MAD) ocuparam pacificamente o sétimo andar da reitoria da Universidade Federal Fluminense – UFF – na Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, Niterói, RJ, Brasil. O objetivo era abrir um diálogo com toda a comunidade acadêmica e com o povo de Niterói em geral, sobre a imposição de diversos projetos arquitetônicos, entre eles os chamados “Via Orla” e “Via 100”.

A greve traída

Março 18, 2020 - 19:05
Publicado em:
0 comments

A greve petroleira, que, considerando o seu período mais extenso, durou de 1º a 20 de fevereiro, foi a maior desde a realizada pela categoria em 1995, ainda que tenha ficado longe do patamar daquela. Foi importante por colocar em pauta, de forma mais direta, a luta contra a privatização da Petrobras (e os gravíssimos problemas que essa privatização, em curso, já tem trazido pro povo brasileiro) e porque cerca de 20 mil trabalhadores se colocaram como força concreta nessa luta, transformando idéias em força material.

Aumento dos Preços do Álcool em Gel é Abusivo e Visa o Lucro

Março 14, 2020 - 15:40
Publicado em:
0 comments

Algumas pessoas usam a lei da oferta e da demanda para justificar o aumento dos preços, e em certo ponto é até possível entender esse processo como uma forma de garantir que haja o produto no estoque, uma vez que em situações de crise, como essa, a demanda aumenta exponencialmente tal qual o preço. Mas obviamente não se trata só disso. Essa forma de controlar a escassez do produto beneficia quem tem dinheiro para comprá-lo mesmo em momentos de crise, ou seja, sacrifica a população pobre para garantir que sobre produtos para quem tem dinheiro para pagar.

Agora é Greve: assembléia do SINDSCOPE aprova adesão ao movimento nacional a partir de 15 de agosto

Agosto 24, 2011 - 16:04
0 comments

Os servidores do Colégio Pedro II, na tarde desta quarta-feira, 10 de agosto, em significativa assembleia convocada pelo SINDSCOPE, com mais de 450 presentes, aprovaram a deflagração da greve na instituição, incorporando-se ao movimento nacional dos Servidores da Educação Federal Básica, Técnica e Tecnológica, organizado pelo SINASEFE. A greve nacional já conta com a adesão de mais de 40 seções sindicais, em 17 Estados, paralisando 115 campi.

Palavras de Carlos PanKararu - Líder do Movimento Indígena Revolucionário.

Junho 24, 2011 - 22:22
0 comments

Caros irmãos indígenas de todo Brasil,

Desde o início deste decreto, todos nós que temos conhecimento da política indígena, sabiamos que este decreto nada mais é, que uma porta aberta para o PAC dentro dos territórios indígenas, por isso que tem poder de fechar os postos indígenas nas aldeias e as administrações indígenas nos estados. Desta forma distânciando o governo das populações indígenas, terceirizando de uma certa forma a obrigação do gorverno federal com os índios e entregando o poder para as organizações não governamentais dando-se o nome CNPI.

Páginas