Mais populares

Mais populares

Rio de Janeiro-RJ: V Feira da Rede de Economias Coletivas

Julho 17, 2017 - 03:26
Publicado em:
0 comments

No dia 10 de Junho ocorreu a V Feira da Rede de Economias Coletivas na Praça Agripino Grieco no Méier, contou com a presença de diversos grupos autônomos de produção coletiva e auto organizados, além de apresentações artísticas, unindo economia, cultura e política.

Veja o chamado para a feira: Calendário - V Feira da Rede de Economias Coletivas

Expulsam 170 bases de apoio aos zapatistas

Setembro 18, 2010 - 21:50
0 comments

Hermann Bellinghausen. La Jornada, 10/09/2010.

Na madrugada desta quinta-feira, cerca de 170 bases de apoio do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) foram expulsas da comunidade tzeltal San Marcos Avilés, município de Chilón, Chiapas. A ação foi perpetrada por membros do PRI, PRD e PVEM en represália pela construção de uma escola autônoma no lugar. A junta de Bom Governo (JBG) do Caracol de Oventic denunciou que os agressores, liderados por Lorenzo Ruiz Gómez e Vicente Ruiz López, “chegaram com facões, paus e armas de fogo, entraram em duas casas e tentaram violentar duas mulheres”.

Construindo economias coletivas no campo e na cidade

Outubro 04, 2013 - 11:55
0 comments

Em novembro de 2012 aconteceu no Centro de Cultura Social em Vila Isabel o EROPA (Encontro Regional de Organizações Populares Autônomas, vinculado ao ELAOPA – Encontro Latino-Americano de Org. Populares Autônomas). Esse encontro foi organizado pelos movimentos: MTD-Pela Base, MCP, OP, Mutirão, FIST, OATL. Numa das comissões (Economia Solidária) discutimos o significado da Economia Coletiva e Popular para os movimentos sociais emancipatórios e para uma transformação radical da sociedade. Surgiu a idéia de realizarmos, em 2013 um encontro de movimentos sociais e grupos que desenvolvem atividades no âmbito da Economia Coletiva e popular.

Rio de Janeiro-RJ: Atividade no Quilombo de Vargem Grande

Maio 29, 2017 - 22:24
0 comments

Na noite do dia 12 maio um grupo de 13 pessoas, representando 5 coletivos acamparam no Quilombo de Vargem Grande com o objetivo de construir coletivamente um novo olhar e um novo saber sobre prática e organização política. Para isso, foram recebidos pela comunidade local e no dia seguinte, a este grupo somaram-se mais 4 pessoas, totalizando assim os participantes da atividade.

As belas épocas burguesas e gentrificação no Rio (1/2)

Julho 25, 2018 - 15:10
Publicado em:
0 comments

Na segunda parte desse mesmo artigo demonstrarei com exemplos como no município do Rio de Janeiro o contexto em que o desenvolvimento tecnológico e as demandas do capitalismo atualmente tem contribuido para o processo que nomearemos de gentrificação. Nesta primeira parte, contudo, nos disporemos de entender La Belle Epoqué napoleônica e a herança carioca com Pereira Passos.

Por uma política de preços de derivados popular e anti-privatista

Junho 06, 2018 - 00:08
Publicado em:
0 comments

A paralisação de caminhoneiros, de 21 de maio a 31 de maio, marcou parte do cotidiano em muitas partes do Brasil, com filas extensas de caminhões em várias rodovias, bloqueios em alguns pontos, desabastecimento parcial de muitos itens, inclusive alimentos (o que dificultou muito a chegada de ingrediantes pra preparação da merenda nas escolas municipais do Rio de Janeiro e acarretou a suspensão das aulas nesses estabelecimentos, por exemplo). O debate sobre a caracterização desse movimento é importante. Mas seja uma greve, seja um locaute (uma paralisação orquestrada por patrões), seja um pouco de cada, em maior ou menor grau pra cada lado, colocou como uma pauta de destaque, de modo bem direto, a atual política (notemos bem: política) de preços de combustíveis, que a hierarquia da Petrobras apresenta como técnica (notemos bem que a intenção é fazer parecer que não é política), e, de modo indireto (mas um indireto bastante direto), a relação entre essa política de preços e a privatização da Petrobras (mais precisamente, o aprofundamento aceleradíssimo dessa privatização, pois ela não começou agora). A greve parcial dos petroleiros, de 30 de maio a parte do dia 1º de junho (o momento de saída da greve não foi o mesmo em todos os locais), teve um papel de destaque na politização (no bom sentido da palavra) da pauta dos preços dos combustíveis, ao relacionar didaticamente a política de preços dos combustíveis (e não apenas do diesel e da gasolina, mas também do gás de cozinha, por exemplo) com a privatização da Petrobras, especialmente das refinarias, e até com a transformação da Petrobras de uma empresa integrada de energia pruma exportadora de óleo cru. Ambas as paralisações foram também, tendo sido ou não a intenção dos seus autores (ou pelo menos de parte deles), uma aula prática sobre como a logística e o petróleo (e, de modo mais amplo, a energia) são especialmente estratégicas. Dito de outra forma, que a vida das pessoas, principalmente do povão, depende muito das políticas em torno da logística e da energia.

[Niterói-RJ] Centro de Artes da UFF fechado pela empresa Enel, que cortou fornecimento de energia elétrica

Dezembro 20, 2017 - 02:15
Publicado em:
0 comments

O Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF), localizada na Rua Miguel de Frias, nº 9, no bairro de Icaraí, Niterói (RJ), teve corte do fornecimento de energia elétrica, nesta terça-feira (12/12/17), devido ao não pagamento de faturas, segundo a Enel Distribuição Rio. Cessou o funcionamento do Cine Arte UFF, do Teatro da UFF e das exposições abertas gratuitamente à população. A reitoria da universidade, que também funciona no mesmo prédio, também está às escuras pelo corte efetuado pela empresa privatizada, que tem lucros astronômicos às custas da exploração dum serviço de interesse notadamente público.

Páginas