Mais populares

Mais populares

Niterói – RJ: Estudantes Protestam Contra o Corte de Vagas na Moradia da UFF

Outubro 13, 2017 - 23:23
Publicado em:
1 comments

O protesto caminhou pela Presidente Pedreira e seguiu pela praia do Ingá até chegar à reitoria, em Icaraí, onde encerrou com uma roda de conversa acerca do tema da manifestação e com a colagem de cartazes no prédio da reitoria.

 

Niterói - RJ: Guarda Municipal Agride Camelôs em Protesto no Centro

Novembro 29, 2017 - 23:19
0 comments

Na tarde desta quarta-feira, dia 29, camelôs da região central da cidade de Niterói realizaram um protesto pedindo pela legalização do seu trabalho nas ruas, temendo a repressão da GM, comum nos finais de ano. A Guarda Municipal reprimiu o ato, agredindo fisicamente os/as manifestantes com cassetetes e spray de pimenta.

Niterói-RJ: Conselho tutelar ENTRA e conversa com estudantes do ocupaIEPIC, mas diz para jornal que foi impedido

Abril 08, 2016 - 00:00
Publicado em:
1 comments

Os estudantes secundaristas do Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho ( #ocupaIEPIC ), vêm sofrendo diversas acusações dos representantes do estado do Rio de Janeiro. A direção da escola acusou os alunos de agressão, depredação do colégio, de impedirem pessoas de saírem da escola, de estarem sendo manipulados por estudantes da UFF, entre outros. Uma nota de esclarecimento foi publicada pelos estudantes nas redes sociais em repúdio a tais acusações.

Por que a favela grita que "a UPP também é ditadura"?

Junho 30, 2014 - 00:00
Publicado em:
0 comments

Nos últimos meses a população de várias favelas do Rio de Janeiro está se organizando contra a massiva repressão das Unidades da Polícia Pacificadora – UPP. Junto aos gritos de “UPP também é ditadura” e “UPP chegou para matar trabalhador”, os moradores têm protestado e denunciado uma falsa política de segurança que se restringe à mais opressão da população pobre e marginalizada.

Rio de Janeiro-RJ: 1ª edição do Cine Quilombo na Favela Tavares Bastos

Março 28, 2015 - 00:00
Publicado em:
0 comments

Neste dia 28 de março aconteceu a 1ª edição do Cine Quilombo na comunidade Tavares Bastos, Zona Sul do Rio. O Coletivo Projetação exibiu o filme "Quilombo" de Cacá Diegues, que foi seguido de debate sobre a condição atual do preto e morador da favela. Após o debate, bandas de Rap, como: Família 0 bala, Pro rap rua, Rap´ense, Conexão Internacional, Penso Ativo, levaram a arte e cultura combativa da favela.

Rio de Janeiro-RJ: Audiência do caso Santiago Andrade: Caio Silva e Souza e Fábio Raposo

Maio 23, 2014 - 00:00
Publicado em:
0 comments

Os réus Caio Silva e Souza e Fábio Raposo são acusados pelos crimes de explosão e homicídio doloso triplamente qualificado (motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e uso de explosivo) do cinegrafista da Band, Santiago Andrade, que morreu após ser atingido por uma bomba durante uma manifestação na Central do Brasil, no Rio de Janeiro.

PEC 181: criminalização do aborto e tudo que você precisa saber sobre o cavalo de tróia das mulheres.

Novembro 11, 2017 - 12:49
Publicado em:
2 comments

Atualmente no Brasil o aborto é permitido em casos de gestações advindas de estupros, risco de vida materno e fetos anencéfalos (sem cérebro), e, embora seja garantido por lei, milhares de mulheres encontram dificuldades para exercer seus direitos - principalmente nos casos de estupro.

Rio de Janeiro-RJ: Ato #PorTodasElas contra o machismo e a opressão

Junho 01, 2016 - 00:00
Publicado em:
0 comments

Pelo menos 30 homens abusaram sexualmente de uma mulher em uma comunidade na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Segundo a menina, que tem 16 anos de idade, ela acordou dopada e nua com 33 homens ao seu redor. O crime, que foi filmado pelos próprios estupradores e postado em redes sociais, viralizando muito rápido, estava sendo investigado pelo delegado Alessandro Thiers, envolvido no processo dos 23 presos políticos.

Rio de Janeiro-RJ: Greve Internacional de Mulheres - #8M

Março 08, 2017 - 23:58
1 comments

“Menina, adolescente, mulher. Isso, mulher, é o que sou. Mas mulher no sentido literal da coisa. Sinto vontade de gritar isso aos quatro ventos quando me vejo encurralada por vários prédios no centro da cidade. Será que eles não percebem? Eu me vejo agora trilhando um caminho de conquista. Mas eles não sabem do que passou. E me julgam por bater no peito e gritar que sou mulher e tenho orgulho. Quando minha mãe descobriu meu sexo, lá na barriga ainda, ela jogou o peso de milhares de fatores nas minhas costas. Tenho que admitir que ser mulher às vezes nos leva a várias situações ruins. A gente para e pense. "E se eu fosse homem...", "E se eu fosse mais forte...". Mas calma aí, eu já sou forte o bastante para lutar. Perceba. Olha em volta. Eu sou uma mulher. Não uma submissa, uma servente. Sou livre. Eu tenho voz. E se eles não me ouviram ainda, bem, eu vou gritar. Muitas mulheres em outrora foram silenciadas, e eu não posso me esquecer. Por isso grito. Me liberto. Quebro e questiono as regras. Quem disse que preciso usar saia?”

A incorporação de novas práticas integrativas no SUS — A crítica para além da cientificidade

Maio 08, 2018 - 16:19
Publicado em:
0 comments

Em março de 2018 o então ministro da saúde, Ricardo Barros, anunciou um decreto que incluía 10 novas práticas integrativas e complementares (PIC) ao rol das 19 já utilizadas no Sistema Único de Saúde (SUS). Apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais passaram a compor a lista junto com ayurveda, homeopatia, medicina tradicional chinesa, medicina antroposófica, plantas medicinais/fitoterapia, arteterapia, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa, termalismo social/crenoterapia e yoga[1]. O argumento defendido pelo ministro é que essas práticas são importantes na prevenção e promoção à saúde, ou seja, que se pode economizar verbas públicas ao evitar que as pessoas fiquem doentes.

 

Rio de Janeiro - RJ: CHOQUE ataca moradores da Metrô-Mangueira

Março 14, 2017 - 21:33
0 comments
Entulhos amontoados entre as residências

Neste domingo, dia 12, algumas(uns) moradoras(es) e apoiadoras(es) da comunidade do metrô-mangueira, afetada pelas remoções durante a Copa do Mundo, organizaram-se para resolver um problema de esgoto na região e foram surpreendidos pelo batalhão de CHOQUE da Guarda Municipal, que invadiu a comunidade atirando bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha. A resistência foi montada em alguns segundos, e a Guarda foi obrigada a recuar.

Páginas