Rio de Janeiro-RJ: Dia da Consciência Negra é marcada por execuções em favelas.

Rio de Janeiro-RJ: Dia da Consciência Negra é marcada por execuções em favelas.

Novembro 21, 2016 - 04:08
Posted in:
6 comments

No sábado, dia 19 de novembro, durante uma operação na Cidade de Deus, zona oeste do Rio, um helicóptero da Policia Militar caiu. O incidente desencadeou uma série de operações da polícia em diversas comunidades pela cidade. Dezenas de pessoas já foram executadas e, segundo perícia preliminar, não há evidências de disparos contra a aeronave que, possivelmente, caiu por falha.

Com as operações diversas mortes foram registradas, além de pessoas feridas, desaparecidas e presas. Parentes de desaparecidos foram impedidos por policiais de procurar seus parentes. Moradores foram ameaçados sob tiros por PMs e diversas denúncias de execuções estão sendo relatadas.

Neste domingo, na mata que cerca a comunidade, corpos foram encontrados por moradores, que acreditam terem sido mortos por policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOPE). Cerca de 20 corpos já foram confirmados, mas acredita-se que a chacina pode ser maior.

Segundo moradores, corpos possuíam marcas de facas e torturas, o que não indica mortes ocorridas durante confrontos, mas execuções. Os corpos foram encontrados sem pertences e alguns estavam sem roupas.

Este domingo, dia 20, dia da Consciência Negra foi marcado por terror e medo para a população preta e pobre. O clima de tensão se mantém na comunidade da Cidade de Deus, que não foi deixada em paz por policiais e traficantes.

Outras comunidades da zona oeste e norte da cidade também encontram-se sob tensão. Foram registrados confrontos nos complexos do Alemão, Lins e na Vila Kennedy. Moradores da Maré e Jacaré também ouviram tiros.

Circulou nas redes sociais um vídeo postado na página “Nós por nós”, onde policiais do BOPE forneceriam munições a traficantes do TCP na Cidade Alta.

No Rio de Janeiro pós copa do mundo e olimpíadas, as zonas periféricas da cidade estão passando por rearranjos. Facções do tráfico de drogas estão em novos confrontos por questões territoriais. Tal rearranjos parecem ter relação com acordos que envolvem a polícia e ou mesmo governos em geral.

No dia da Consciência Negra, a imagem de corpos negros deitados denunciam que a realidade dos tempos da escravatura ainda se mantém, porém atualizada para os moldes atuais. A mesma “Imperial Guarda de Polícia” criada durante o império para perseguir as “propriedades móveis” fugitivas, os escravos negros, tornou-se a Polícia Militar após a proclamação da república, e parece cumprir a mesma função hoje.

Fonte: Mídia Independente Coletiva - MIC

There are 6 Comments

"O dia em que o morro descer e não for carnaval
Ninguém vai ficar pra assistir o desfile final
Na entrada, rajada de fogos pra quem nunca viu
E vai ser de escopeta, metralha, granada e fuzil (é a guerra civil)
No dia em que o morro descer e não for carnaval
Não vai nem dar tempo de ter o ensaio geral
E cada uma ala da escola será uma quadrilha
A evolução já vai ser de guerrilha
E a alegoria um tremendo arsenal

O tema do enredo vai ser a cidade partida
No dia em que o couro comer na avenida
Se o morro descer e não for carnaval
O povo virá de cortiço, alagado e favela
Mostrando a miséria sobre a passarela
Sem a fantasia que sai no jornal
Vai ser uma única escola, uma só bateria
Quem vai ser jurado? Ninguém gostaria
Que desfile assim não vai ter nada igual
Não tem órgão oficial, nem governo, nem Liga
Nem autoridade que compre essa briga
Ninguém sabe a força desse pessoal
Melhor é o Poder devolver a esse povo a alegria
Senão todo mundo vai sambar no dia
Em que o morro descer e não for carnaval”
Wilson das Neves

Abandonada pelos trabalhadores, a esquerda tupiniquim tem procurado angariar seu novo público entre os marginais, aqueles a quem o velho Marx denominava o lumpen-proletariado e afirmava, com toda a razão, serem imprestáveis como revolucionários. O que não impede que o pessoal sonhe que um dia os favelados vão descer do morro e fazer a revolução que os trabalhadores das fábricas não quiseram fazer.

Vai sonhando!

Você está dizendo que todo o favelado é bandido. Que bizarro isso... Mais racismo!
Não se preocupe... a favela vai descer e a justiça será feita!
Nesse dia não haverá mais tráfico nem PM!

Engraçado que o pedaço do corpo mostrado na foto nem é de um negro.

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.