Ataque na aldeia Taquara em Juti-MS.

Ataque na aldeia Taquara em Juti-MS.

Março 25, 2017 - 21:22
3 comments

Homens armados com rifles, rostos cobertos e helicópteros na aldeia Tekoha Takuara.

[texto atualizado em 25/03/2017 - 20:00]

Hoje [25 de março de 2017] pela manhã os moradores da Terra Indígena Taquara (aldeia Tekoha Takuara), no município de Juti no Mato Grosso do Sul, foram surpreendidos com a chegada de diversos homens armados.
Os primeiros relatos  recebidos descrevem a chegada de homens armados com rifles, rostos completamente cobertos e o uso de pelo menos um helicóptero.
Os indígenas foram ameaçados e se refugiaram em pontos da mata. Depois de diversas horas com dificuldades de comunicação, segue abaixo o texto com relatos e as informações levantadas até agora.

Nesse momento há uma operação da Força Aérea Brasileira - FAB na região fronteiriça. O aeroporto de Dourados, desde ontem, dia 24, se tornou uma das bases da operação Ostium da FAB na região com "caças, aeronaves remotamente tripuladas, aviões-radar e helicópteros" [segundo a própria FAB] . O aeroporto fica próximo da região de Caarapó, onde habitam os povos Kaiowá e Nhandeva. Hoje, dia 25, pela manhã, agentes armados invadiram a aldeia conforme o relato uma liderança indígena local:

"Eles vieram com brutalidade vasculhando as casas e barracos dizendo para todos saírem da área de retomada... com arma apontando nas mulheres e crianças da terra indígena Taquara"

Mulheres e crianças deixando na aldeia para refúgio na mata.
Mulheres e crianças deixando na aldeia para refúgio na mata.

"Se eles tivessem nos avisado, nós não iríamos nos negar a recebê-los. Se eles tivessem vindo com respeito. Porque nós somos índios, nós não somos bandidos. Mas eles chegaram ameaçando as mulheres. Eles desceram do helicóptero e falaram para as mulheres não correr, senão atiravam nas costas delas."
"Os mascarados fizeram algumas crianças e mulheres ajoelhar-se e disseram que a terra Taquara é de fazendeiros, não de nós indígenas. Eles também ordenaram que saíssemos de lá e ameaçaram voltar novamente."

Lideranças locais confirmaram que helicópteros sobrevoaram toda a região durante o dia.

Helicóptero sobrevoa a aldeia.
Helicóptero sobrevoa a aldeia.

"Tem muita polícia, fechando as estradas com caminhonetes, não sabemos se é a DOF (Departamento de Operações de Fronteiras) ou Sepriva mesmo (Segurança Patrimonial de Dourados). Também haviam 5 helicópteros sobrevoando as terras dos Nhandeva, quando nos comunicamos com eles. Aqui os helicópteros são brancos, meio cinza," relatou a liderança.
"Pra nós que já passamos por tantos conflitos nas mãos dos fazendeiros, estamos achando essa operação toda muito suspeita. Pode ser que os fazendeiros estão usando essa desculpa operação da FAB".

Representantes do CIMI (Conselho Indigenista Missionário) alertaram que o MPF (Ministério Público Federal) foi acionado e irá pedir mais informações para a FAB sobre a operação a fim de averiguar os abusos e responsáveis pela operação.

 

Mulheres e crianças deixando na aldeia.

There are 3 Comments

Infelizmente, o meu Brasil, está entregue aos GOLPISTA. Tudo pode acontecer com esses fazendeiros ligados à este Governo Federal GOLPISTA . Eles não gosta de índios, de pobres, muito menos do povo trabalhador, que sustenta toda essa corjeas!

Os indígenas são perseguidos e mortos há 517 anos... O governo anterior perseguiu e matou índios como qualquer outro...

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.