Porto Alegre-RS: Polícia invade residências e espaços de anarquistas na véspera da Feira do Livro Anarquista

Porto Alegre-RS: Polícia invade residências e espaços de anarquistas na véspera da Feira do Livro Anarquista

Outubro 26, 2017 - 22:27
Publicado em:
0 comments

A polícia civil gaúcha cumpriu na manhã desta quarta-feira (25 de outubro) diversos mandados de busca em residências e espaços coletivos na região metropolitana de Porto Alegre para coletar materiais para investigação. A polícia afirma que os endereços estão vinculados a um grupo que teria realizado ataques a viaturas, sedes de partidos políticos, delegacias, bancos e concessionárias de veículos. A ação foi truculenta e os policiais agrediram as pessoas que residem nesses espaços e levaram algumas delas para a delegacia.

Foram ao todo 10 mandados de busca e apreensão, onde foi apreendido material anarquista (cartazes, livros, faixas, etc.), máscaras defantasia, latas de spray e outros objetos comuns, inclusive garrafas de plástico cheias de saco plástico, que a polícia relatou serem coquetéis molotov. Nem mesmo policiais são tão ignorantes a ponto de achar que pode-se fazer coquetéis molotov com garrafas plásticas e sem um líquido inflamável. De fato essas garrafas seriam utilizadas como tijolos ecológicos para bioconstruções.

A polícia tenta fazer colar acusações de tentatíva de homicídio, organização criminosa e formação de quadrilha sem qualquer evidência que conecte os alvos das investigações com os supostos crimes. Como em outras ocasiões, plantam evidências e distorcem os fatos para que a opinião pública se encarregue de julgar e condenar sem qualquer prova. Buscam embasar graves acusações com provas circunstânciais como ter livros ou materiais anarquistas.

A ação da policia acontece apenas dois dias antes da 8ª Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre, numa clara atitude intimidatória.

Escrevemos esse relato para fazer um chamado à solidariedade com as pessoas atingidas por esse operação. A repressão não é local, não está limitada a fronteiras espaciais. Quer seja na Europa, com a repressão às pessoas envolvidas nos protestos contra o G20, ou no sequestro e assassinato de nosso companheiro Santiago Maldonado na Argentina, estaremos juntxs fazendo frente a esses avanços do Estado. Nossa luta não vai ser dobrada, domesticada ou freada.

Nós estamos em todos os lugares!

 

Police raided several houses and anarchists spaces this morning in the eve of Anarchist Bookfair in Porto Alegre

This wednesday morning Police raided several houses and social centers in Porto Alegre, southern Brazil. They were searching for evidence for an ongoing investigation on anarchist activities. The police states that those adresses are connected to a group allegedly responsible for arson attacks against police cars, headquarters of political parties, police stations, banks and car dealers. Some people were detained, but later released and police action was ruthless with people living in these spaces.

Overall 10 search warrants were released, and in all of those anarchist material (such as books, zines, posters and banners) masks, computers, spray cans, and other objects like plastic bottles were aprehended. Police said those PLASTIC (!) bottles were being prepared to be used as molotov cocktails. Not even cops are that ignorant to believe you can do molotovs with plastic bottles and no flammable liquid. In fact those bottles were meant to be used as recycled bricks in bioconstruction buildings.

They are trying to put through accusations ranging from homicide attempt to organized crime without any evidence that connects the targets of this investigation to the alleged crimes. Like many times before, they plant evidences and distort the facts so the public opinion takes care of judging and condemning with no proof at all. They try to cement severe accusations with circunstancial evidences like owning books or other anarchist materials.

This police action happens only two days before the 8th Anarchist Bookfair here in the City, in a clear bully action meant to desmobilize us.  

We write this report to call for all solidarity with the persons affected by this police operation. The repression is not local, neither is limited to spatial bounderies. Either in Europe, with the recent repression against those involved in demonstrations against G20, or in the kidnap and murder of our comrade Santiago Maldonado in Argentina, we will be together fighting those State advances. Our struggle won't be bend, tamed or stopped.

WE ARE EVERYWHERE!

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.