Assédio Moral contra a Mulher no Trabalho: marcas que uma rosa não apaga

Assédio Moral contra a Mulher no Trabalho: marcas que uma rosa não apaga

Abril 27, 2012 - 00:03
Publicado em:
0 comments

O assédio moral no ambiente de trabalho pode ser conceituado como “a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comum em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e éticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego".

Considerando o recente processo histórico de inserção das mulheres no mercado de trabalho e a ainda persistente colocação em cargos de nível inferior e/ou com salários significativamente inferiores aos dos homens – questões diretamente influenciadas pelas relações desiguais de gênero, às quais são determinadas pelo modelo patriarcal e machista da sociedade em que vivemos – podemos afirmar que as mulheres são o perfil da classe trabalhadora que mais sofrem assédio moral nas relações de trabalho.

A ideia de que uma maior eficiência, capacidade laboral, biológica e intelectual são maiores no homem que na mulher, além de questões como a imposição social da mulher também ter que executar serviços domésticos em seu lar e o constante ‘medo’ de perder o emprego devido ao afastamento por uma gravidez fazem com que as mulheres sejam constantemente submetidas à situações discriminatórias e/ou vexatórias em seu ambiente de trabalho.

Contudo, é sabido que essas situações são, majoritariamente, veladas. Atitudes dos empregadores como a comemoração do 8 de março – e a entrega de rosas nesse dia – nada mais são que um mecanismo para mascarar toda a desestabilização emocional e psíquica e os ataques à dignidade e identidade como conseqüência de inferiorização e humilhações sofridas cotidianamente por mulheres no trabalho.

Que neste 8 de março, em nossos locais de trabalho, ao invés de recebermos rosas e belas mensagens, exijamos um ambiente de trabalho digno, sem violência, ético e que respeite e valorize a mulher enquanto trabalhadora!

LUTA MULHER!

Fonte: http://mulheresresistem.blogspot.com.br/

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.