[Niterói-RJ] Centro de Artes da UFF fechado pela empresa Enel, que cortou fornecimento de energia elétrica

[Niterói-RJ] Centro de Artes da UFF fechado pela empresa Enel, que cortou fornecimento de energia elétrica

Dezembro 20, 2017 - 02:15
Publicado em:
0 comments

O Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF), localizada na Rua Miguel de Frias, nº 9, no bairro de Icaraí, Niterói (RJ), teve corte do fornecimento de energia elétrica, nesta terça-feira (12/12/17), devido ao não pagamento de faturas, segundo a Enel Distribuição Rio. Cessou o funcionamento do Cine Arte UFF, do Teatro da UFF e das exposições abertas gratuitamente à população. A reitoria da universidade, que também funciona no mesmo prédio, também está às escuras pelo corte efetuado pela empresa privatizada, que tem lucros astronômicos às custas da exploração dum serviço de interesse notadamente público.

Também estão com risco de corte por falta de pagamento a Faculdade de Engenharia, o campus do Gragoatá, a Faculdade de Odontologia, a Faculdade de Farmácia e a Faculdade de Direito.

A reitoria da UFF confirmou o corte no abastecimento e alegou que a interrupção ocorreu porque o Ministério da Educação (MEC) não repassou verba ao financeiro da universidade. A UFF afirmou ainda que tenta contato com o órgão para regularizar a situação.

O MEC, por sua vez, disse ter liberado todo o recurso disponível no orçamento de custeio para todas as universidades federais, incluindo a UFF, sem atrasos e com dois repasses no mês de dezembro. Segundo o ministério, a previsão da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017 para a universidade era de R$ 193 milhões de reais, valor que, ainda segundo o MEC, já foi liberado. O recurso de custeio é direcionado à manutenção das instituições, como limpeza, vigilância, contas de água, luz e outras atividades essenciais para o bom funcionamento.

Com relação ao corte de energia elétrica, o MEC informou que após o repasse, qualquer falta de pagamento com o orçamento 100% liberado pode ser consequência de falha na gestão da instituição e que o ministério não possui qualquer ingerência sobre os processos de pagamento que estejam a cargo das instituições.

A Enel afirmou que pode vir a cortar a energia elétrica do próprio Hospital Universitário Antônio Pedro e – no máximo – pode vir a fornecer, depois, equipamento gerador para atender o hospital vinculado à UFF, para não prejudicar pacientes já internados ou em atendimento. Mas esse gerador seria fornecido apenas por até sete dias, após o que, nada de atendimento médico. O hospital atende ao povo de Niterói e adjacências, que não tem outra opção para tratar da saúde.

Na terça-feira 19/12/17, a população (principalmente estudantes, professores e técnicos administrativos da universidade) fez um protesto que consistiu numa passeata partindo do portão do Campus do Gragoatá da UFF e seguindo até a porta da empresa Enel (onde houve várias falas ao microfone contra a ganância da empresa e em favor da cultura e da saúde pública ameaçadas pelo megaempresariado). Dali saiu-se em passeata até o bairro do Ingá, rumo à reitoria da UFF. A tendência político-social Organização Popular também esteve presente ao protesto, tendo em vista a importância que confere à cultura e à saúde pública.

 

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.