RJ: Rojava: a Democracia Sem Estado

Foto de CMI-Rio
Enviado por CMI-Rio em qua, 07/11/2018 - 20:11
Data: 
sexta-feira, 9 Novembro, 2018 - 19:00

Local: Cinelândia

EVENTO GRATUITO

19:00

VÍDEOS E DEBATE SOBRE:

ROJAVA: A DEMOCRACIA SEM ESTADO

O sistema mundial que estamos vivendo existe há cinco mil anos. Diferentes estágios da história têm dado-o diferentes nomes, mas em seu núcleo tem se mantido o mesmo, e seu pilar principal é o Estado. Isto precisa ser bem compreendido. Nos últimos cem anos as pessoas têm lutado contra o Estado, e elas conseguiram atingir independência historicamente, mas elas não atingiram a liberdade, porque elas não se emanciparam do Estado. Seu conceito de liberdade se encontra dentro dos limites do Estado.

O sistema mundial equivale à destruição sistemática das mulheres, e a autonomia democrática equivale à liberação das mulheres. Por isto a revolução de Rojava é uma revolução das mulheres. Em rojava todos os espaços devem seguir esse princípio de igualdade.

A democracia sem estado se divide em Comunas, constituídas por vizinhanças de 300 pessoas. As Comunas têm co-presidentes, e há co-presidentes em todos os níveis, da Comuna à Administração do Canton*. Em cada Comuna há cinco ou seis comitês. As Comunas trabalham em duas funções:

Primeira, elas resolvem problemas rápido e com antecedência – por exemplo, um problema técnico ou um problema social. Alguns trabalhos podem ser feitos em cinco minutos, mas você o manda para o Estado, e fica preso na burocracia. Assim, nós resolvemos problemas rápido.

A segunda função é política. Se nós falamos democracia verdadeira, decisões não podem ser tomadas de cima para baixo, elas tem que ser tomadas na base e então subirem os degraus. Há também Conselhos de Distrito [District Councils] e Conselhos Municipais [City Councils], até o Canton.

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.