UMA BREVE HISTÓRIA DE KUBRICK
Biografia
Filho de um casal de judeus, o mais cerebral e original dos cineastas nasceu em 26 de Julho de 1928 no Bronx, Nova York. Na infância, Stanley Kubrick era conhecido pelo seu total desinteresse pela escola - a William Taft School e por sua inegável e extraordinária inteligência fora dela. Os professores sempre detectavam a “genialidade desperdiçada” daquele Garoto, que sempre passava de ano com notas baixas.
Um dos hobbys preferidos de Kubrick era tirar fotos com uma câmera que ganhara de seu pai, um médico. Kubrick queria ser um fotógrafo do tipo paparazzi, invadir lugares e fotografar celebridades. Em 1945, ele invadiu o camarim do jovem Frank Sinatra, quando fazia uma turnê em Nova York. Naquele mesmo ano, no dia da morte do presidente Franklin Roosevelt, Kubrick tirou uma foto de um jornaleiro abatido em sua banca e cercado de jornais que publicavam o triste ocorrido. Kubrick enviou a foto para a revista Look e foi publicada. Isto resultou na contratação dele pela revista.
Na época em que trabalhou como fotógrafo para a Look, Kubrick preenchia suas horas vagas em cinemas assistindo a todo tipo de filmes junto com amigos, entre eles, Alexander Singer. Ambos sonhavam em ser cineastas e não tinham escola de cinema naquela época, então o único jeito de aprender era vendo filmes. Eles saiam dos cinemas comentando os filmes, com a total convicção de que poderiam fazer filmes melhores do que aqueles que assistiam. As discussões consistiam em Stanley reclamar contra o sentimentalismo da maioria dos filmes. Decididos a seguirem o caminho do cinema, Kubrick resolveu fazer uma adaptação de um romance de Destoievsk e Singer um roteiro original. Eles chegaram a escrever os roteiros, desenhar os story boards e escolher o elenco. Eles nunca chegaram a fazer estes filmes, mas obviamente fizeram outros.
Em 1951 com 23 anos, Kubrick usou seus vencimentos como fotógrafo para financiar seu primeiro filme, um documentário de 16 minutos chamado Day of the fight . O filme foi comprado pela RKO, para integrar uma série chamada “Isto é América” e foi exibido nas salas da Paramount em Nova York.
Naquele mesmo ano, Kubrick pede demissão na Look para exercer a atividade de cineasta em tempo integral e faz seu segundo curta de 9 minutos chamado Flying Padre, sobre um sacerdote que voa cerca de 400 milhas no Novo México em um monomotor. O documentário foi financiado pela RKO para compor uma outra série chamada Pathe Screenliner.
Em 1953, ele recebeu uma encomenda da Atlantic and Gulf Coast District, para dirigir e fotografar o documentário empresarial chamado The Seafarers . Este foi o primeiro trabalho de Kubrick em cores e o seu último curta.
No mesmo anos de The Seafarers, Kubrick realizou seu primeiro longa metragem chamado Fear and Desire
financiado com empréstimo de parentes e que custou $13.000. Este é o único filme de Kubrick que não existe em vídeo em parte alguma do mundo e que é totalmente vetado para qualquer tipo de distribuição, por decisão do próprio Kubrick: ele achava o filme muito ruim.
Em 1955, com dinheiro emprestado de amigos, Kubrick faz seu segundo longa A morte passou por perto . Ele também achava este filme ruim, mas não chegou a vetá-lo como o primeiro.
Em 1956, já tendo deixado dois casamentos para trás, Kubrick foi para Hollywood, se associou ao produtor James B. Harris, evoluiu para um orçamento de $320,000, um elenco de atores profissionais e realizou O Grande golpe , seu primeiro filme de estúdio.
No mesmo ano, Kubrick e Harris assinaram com o produtor executivo Dore Share da MGM, um acordo de propriedade (como os estúdios faziam na época, principalmente com atores) e Kubrick escreveu uma adaptação para um filme chamado The Burning Secret - que nunca foi realizado.
O primeiro filme deste contrato foi Glória feita de sangue (1957). Os estúdios recusaram este projeto por não conseguir o que a MGM conseguiu: que Kirk Douglas trabalhasse no filme. Foi durante as filmagens que Kubrick conheceu sua terceira e definitiva esposa, a cantora e pintora alemã Christiane , com quem teve três filhas .
Nos dois anos seguintes, Kubrick escreveu e produziu filmes que não conseguiu realizar: um filme que seria feito pela produtora de Kirk Douglas chamado I Stole 16 Million Dollars, outro sobre uma força de guerrilha na guerra Civil Americana e um outro que ele gastou seis meses na pré-produção junto com Marlon Brando para um filme chamado One-Eyed Jacks, no Brasil é conhecido como “A Face oculta”. Mas, além de atuar, Brando decidiu ele mesmo dirigir o filme.
Em 1959, Spartacus (1960) estava começando a ser produzido e devido a desentendimentos, o produtor e ator do filme Kirk Douglas demitiu o diretor Anthony Mann. Douglas ofereceu o cargo de diretor a Stanley Kubrick, que aceitou mesmo com duas semanas de filmagens já feitas. Spartacus foi o primeiro longa de Kubrick em cores, técnica que só retomou oito anos depois.
Seu filme seguinte foi Lolita (1962), baseado no romance de Vladimir Nabokov. Ao filmar na Inglaterra, Kubrick se identificou com a paz e o sossego das proximidades de Londres e se mudou para Hertfordshire permanentemente e onde passou a fazer todos os seus filmes. Lolita foi o último filme de Kubrick em associação com o produtor James B. Harris, mas não com a MGM.
Depois de Lolita, Kubrick passou a produzir todos os filmes que faria dali em diante.
O primeiro filme desta nova fase foi Doutor Fantástico (1964), baseado no livro "Alerta vermelho" de Peter George. Na adaptação, Kubrick transformou a estória séria sobre a Guerra Fria em uma paródia de humor negro. Este foi o primeiro da “trilogia” que marcou o auge de sua carreira.
Quando Stanley se interessava por alguma coisa, começava a ler tudo a respeito e ficava um perito no assunto. Após quatro anos de pré-produção e filmagens, Kubrick lançou 2001-Uma odisséia no Espaço (1968), baseado no livro de Arthur C. Clarke. Ele fez este filme porque achava que até então nunca havia sido feito um filme de ficção-científica. No máximo "ficção-fantasia". Foi o último filme que ele realizou pela Metro.
O próximo filme de Kubrick teria sido Napoleão. Mas devido ao custo inacreditavelmente alto que o filme certamente teria, esta idéia acabou sendo deixada de lado.
Depois de 2001, Kubrick passou a realizar todos os filmes pela Warner Bros. Laranja Mecânica (1971), baseado no livro de Anthony Burgess, é talvez seu melhor filme e com certeza seu melhor trabalho de direção. Com este filme, Kubrick chegou ao auge das polêmicas que ele sempre gerou com seus filmes e encerrou a "trilogia" que marcou o auge de sua carreira.
Em 1975 estreou Barry Lyndon baseado no livro de William Makepeace Thackery, uma estória que se passa no século 18. O filme é conhecido pela fato de Kubrick ter usado lentes desenvolvidas pela Nasa especialmente para o filme, para a captação de imagens nas cenas internas, que foram iluminadas tal como era a iluminação daquela época: somente a vela. Estas técnicas resultaram no filme visualmente mais belo de Kubrick e talvez de toda a história do cinema.
Stanley Kubrick é conhecido como o cineasta que levava anos preparando meticulosamente cada filme, que não gostava de se repetir e muito menos ainda repetir a outros cineastas. Sendo assim, não é de se espantar que ele tenha recusado convite para filmar a seqüência de O Exorcista e fez seu próprio filme de terror, O Iluminado
(1980). Por este filme, ele acabou sendo criticado pelos fãs de Stephen King porque não gostaram da adaptação do romance, que é considerado um dos melhores do autor.
Em Nascido para matar (1987), baseado no livro do ex-militar Gustav Hasford, Kubrick retratou a guerra do Vietnã da forma mais dura e realista que se possa fazer em um filme sobre aquela ou qualquer outra guerra.
Nos anos que se seguiram, Kubrick começou a preparar alguns projetos que acabou não realizando. Entre esses projetos se destacam Aryan Papers que ele chegou a escrever, sobre uma mulher judia e seu sobrinho em um campo de concentração. Mas surgiu A Lista de Schindler e Kubrick resolveu não ir adiante com o projeto. O outro é A.I. , que são as siglas em inglês de “Inteligência Artificial”. Na verdade, Kubrick vinha adiando este projeto a muito mais tempo, porque ele achava que os efeitos especiais não estavam evoluídos o suficiente. Ele só veio a mudar de idéia em 1993, quando ele viu Jurassic Park.
Kubrick interrompeu a pré-produção de A.I. e decidiu filmar primeiro De olhos bem fechados olhos (1999), baseado no romance Rhapsody, a Dream Novel de Arthur Schnitzler. Durante as filmagens, no ano de 1997, ele foi homenageado com o D. W. Griffith , o prêmio especial do Sindicato dos Diretores.
Dias depois de ter finalizado o filme, Stanley Kubrick morreu durante o sono em sua casa, na madrugada de Domingo 7 de Março de 1999.
Kubrick sempre foi considerado pela mídia como tirânico, egoísta, obcecado, paranóico, excêntrico, misterioso, recluso, etc. Mas em depoimentos de sua família, seus amigos e colegas de trabalho, todos estes boatos caíram por terra. Na verdade, as verdadeiras características dele eram outras e as mais variadas possível como: pensativo, sincero, leal, controlador, caloroso, engenhoso, intenso, disciplinado, paciente..... Sim, ele era reservado, mas era também aberto, meticuloso, relaxado, amoroso, preocupado com os amigos, e a respeito de viagens, ele só não gostava de voar.
Quando se assiste aos filmes de Stanley Kubrick, é impossível não reconhecer que ele era o cineasta que mais teve a capacidade de imprimir sua marca nos filmes, mesmo que tenham sido filmes incrivelmente diferentes entre si. Uma das principais marcas de sua genialidade, é o fato de que toda e qualquer imagem de seus filmes, nunca é somente a imagem: sempre há algo por trás dela.
A respeito tanto do profissional quanto do ser humano, sua morte foi uma das mais sentidas de todos os tempos.
PARA AS PESSOAS QUE TIVEREM INTERESSES EM FOTOS , VIDEOS,DEPOIMENTOS E SINOPSES DOS FILMES TEMOS UM ACERVO RAZOAVEL COM FOTOS E FILMES ENTRAR EM CONTATO COM :  mastrohc@yahoo.com.br