O Movimento Passe Livre do Distrito Federal está em intensa jornada de lutas contra o aumento das tarifas desde o dia 24 de junho, quando realizou uma manifestação com cerca de 500 estudantes. Após essa primeira ação o movimento ocupou a ouvidoria do DFTrans, entre os dias 13 e 15 de agosto. Seguindo a jornada de lutas houve uma intensa passagem em escolas para articulação do movimento contra o aumento das durante os 12 primeiros dias de julho.

As tarifas efetivamente não aumentaram no Distrito Federal, o que prova que o movimento teve vitória em sua pressão ao poder público local. De todo modo, a Agencia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), entidade de caráter federal, empreendeu um aumento em todas tarifas inter-estaduais, o que prejudicou toda população do entorno do DF. O Movimento Passe Livre iniciou então uma fase intensificada da jornada de lutas, com atos de rua nos dias 13 e 15, blocos carnavalescos nos dias 16 e 17 e a ocupação da própria ANTT no dia 26 de agosto.

A partir desse cronograma o MPL-DF persiste em sua jornada de lutas, avançando cada vez mais e mais na construção de um transporte público que funcione sob uma lógica popular. Novos atos e manifestações estão sendo previstos e o lema "toda hora é hora/todo local é local para mobilizações e quem organiza é você!" toma coro e cresce cada vez mais.

Cronograma de lutas

***

24 de junho: O Movimento Passe Livre DF dá início à jornada de lutas contra o aumento das tarifas com uma ampla mobilização com mais de 500 estudantes de todo o DF. Cerca de 6 vias foram ocupadas simultaneamente por diversos blocos que se encontraram na rodoviária do Plano Piloto (ponto central no DF).

Editorial CMI 24 de junho

***

13 a 15 de Julho: O Movimento Passe Livre DF ocupa a ouvidoria do DF Trans na rodoviária e lá permanece por 49 horas e 15 minutos. Um abaixo assinado que em pouco mais de um dia colheu cerca de 8 mil assinaturas de transeuntes mostra a massificação e adesão popular ao ato do movimento.

Editorial CMI ocupação | Fotos Ocupação

***

01 a 12 de agosto: O MPL-DF passa em diversas escolas do Distrito Federal conversando sobre a precariedade dos transportes, o Movimento Passe Livre e o iminente aumento de tarifas no DF. Uma série de núcleos em escolas são formados, e o movimento amplia-se pela periferia do DF.

Artigo MPL-DF

***

13 de agosto: Frente ao aumento de tarifas no entorno do Distrito Federal o MPL-DF inicia a fase intensificada da sua jornada de lutas, com um ato na rodoviária do Plano Piloto. Tropas da Rotam-DF aparecem e tentam intimidar as/os manifestantes, sem sucesso.

Editorial 13 de agosto | Vídeos 13 de Agosto

Fotos: I | II

***

15 de agosto: Dois blocos saem em marcha simultânea por 2 vias do DF. A polícia tenta sem sucesso dispersar a manifestação por meio da intimidação. Três pessoas são detidas sob falsas acusações de depredação do patrimõnio público e desacato à autoridade. A mobilização todavia continua e atinge seus objetivos de visibilização da revolta popular contra o aumento das tarifas.

Editorial CMI 15 de Agosto | Fotos | MPL-DF e a Repressão policial | Relato MPL-DF | Vídeos

***

16 de agosto: Demonstrando força e resistência na luta, o MPL-DF fez um bloco de carnaval na rodoviária, contando com a adesão das pessoas que por lá passavam. A intenção principal do bloco era denunciar a violência policial e deixar claro que o movimento não será intimidado a partir da utilização da força bruta.

Relato 16 de agosto

***

17 de agosto: O segundo dia do bloco na rodoviária contou, além do bloco carnavalesco, com uma exibição de vídeos e provocações policiais. O Movimento não evitou a tentativa de prisão sem motivos de um menino em situação de rua. A polícia usou isso como pretexto pra agredir o movimento utilizando spray de pimenta e força bruta. Dois militantes do MPL-DF foram encaminhados arbitrariamente à delegacia e liberados logo em seguida.

Aumento das tarifas| Sobre a repressão política ao Movimento Passe Livre no Distrito Federal | [MPL-Floripa] Nota de solidariedade ao MPL-DF

***

26 de agosto: Mais de 400 militantes do MPL em marcha ocuparam a sede da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) por cerca de 45 minutos. O movimento conseguiu com isso a planilha de custos que justificou o aumento nacional dos transportes interestaduais e iniciou um trabalho de forte pressão à agência, demonstrando força e resistência na luta.

Relato do ato dia 26 de Junho

Vídeos: I | II | III | IV

Fotos: I | II | III | IV | V