Comunicado de Comitê Clandestino Revolucionário Indígena - Comandância Geral do Exército Zapatista de Libertação Nacional.

30 de Outubro de 2006

Ao povo do México:
Aos povos do Mundo:
À toda a "Otra" no México e ao norte do Rio Bravo:
Companheiros e Companheiras:
Irmãos e Irmãs:

Como é de conhecimento público, o dia de ontem, 29 de outubro de 2006, as forças federais do governo de Vicente Fox atacaram o povo de Oaxaca e a seu mais digno representante, a Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca, a APPO.

Até o dia de hoje, os federais assassinaram pelo menos três pessoas, entre elas um menor de idade; deixado dezenas de pessoas feridas, entre elas várias mulheres oaxaqueñas; e dezenas de detidos que foram trasnferidos ilegalmente à prisões militares. A tudo isso se somam os mortos, os detidos e desaparecidos desde o início da mobilização que demanda a saída de Ulises Ruiz do governo de Oaxaca.

O ataques federal não tem um objetivo além de manter Ulises Riz no poder e destruir a organização popular dos de baixo de Oaxaca.

O povo de Oaxaca resiste. Nenhuma pessoa honesta pode permanecer em silêncio e parada enquanto todo um povo, majoritáriamente indígena, é assasinado, golpeado, encarcerado.

Nós, as zapatistas, os zapatistas, não calaremos e nos mobilizaremos em apoio ao povo irmão e companheiro de Oaxaca.

A Comissão Sexta do EZLN já consultou à direção Zapatista e se decidiu o seguinte:

PRIMEIRO. - Durante todo o dia primeiro de novembro de 2006m serão fechadas as estradas e caminhos que atravessam os territórios onde o EZLN mantem presença no sudeste, Estado de Chiapas.
Em conseqüência, convocamos a tod@s que deixem de transitar pelas estradas de Chiapas neste día e tomem as providências necessárias.

SEGUNDO. - Através de sua Comissão Sexta, o EZLN iniciou contatos e consultas com outras organizações políticas e sociais, assim como com grupos coletivos e pessoas da "Outra Campanha", para iniciar jornadas de solidariedade com Oaxaca e convocar uma reforma conjunta com todo o México de baixo a realizar uma parada nacional no dia 20 de novembro de 2006.

TERCEIRO. - O EZLN faz um chamado a "Outra Campanha" no México e ao norte do Rio Bravo, para que neste primeiro de novembro de 2006 se mobilize, onde seja possível, fechando de maneira total, parcial ou intermitente, real ou simbólicamente os silêncios, caminhos, estradas, bangalôs, estações, aeroportos e qualquer meio de comunicação.

QUARTO. - A mensagem que os zapatistas, as zapatistas mandamos e mandaremos ao povo de Oaxaca é uma só: não estão sós!

Retirada imediata das forças federais de ocupação em território oaxaqueño!

Liberdade imediata e incondicional a tod@s @s dentent@s!

Cancelamento de todas as ordens de prisão!

Castigo aos assassinos!

LIBERDADE!
JUSTIÇA!
DEMOCRACIA!

Desde o norte do México.
Pelo Comitê Clandestino Revolucionário Indígena - Comandância Geral do Exército Zapatista de Libertação Nacional.
Pela Comissão Sexta do EZLN.

Subcomandante Insurgente Marcos.
México, Outubro de 2006.