As fotos acima mostram a atitude desesperada dos policiais civis em "manter a ordem" na manifestação realizada pelo Frente de Luta Contra o Aumento das Passagens no dia 24 de novembro - última sexta-feira, contra o aumento da tafifa do ônibus , que a partir do dia 30 de novembro (quinta-feira) sobe para R$ 2,30.
Jornais publicaram notícias sobre o tema dizendo que houve tumulto, depredação, incêndio de ônibus, entre outros detalhes que, manifestantes que estavam presentes alegam não terem visto nada disso. Foi publicado também que dois jovens foram presos e levados à delegacia.

Na verdade, a repressão dos policiais não apenas tentou evitar a continuidade da manifestação (cuja legitimidade é indiscutível), como também usou da força contra um dos manifestantes, levando-o ao hospital: seu braço direito foi quebrado; haviam estilhaços de bomba de efeito moral em seu rosto; marcas de balas de borracha em seu peito, barriga, costelas, perna; hematomas em várias partes do corpo. No Hospital do Servidor Público (sito à Rua Castro Alves, 60 - Vergueiro) também apanhou dos policiais. Quando liberado, foi dirigido à 1ª DP da Sé (localizada à Rua da Glória, 466 - Liberdade) onde depôs e aguardou suas testemunhas e os policiais darem os seus depoimentos para só então, fazer o exame de corpo de delito no IML.

Um segundo manifestante que foi socorrê-lo no momento da repressão, durante a manifestação, também foi preso e prestou depoimento. Ambos já foram liberados e aguardam os desdobramentos legais do acontecido.