O local é ameaçado pela especulação imobiliária.
A construção de casas e prédios foi embargada pela Justiça Federal, por ser uma área protegida por lei federal. Existe uma grande preocupação com a questão ambiental, e com os sítios arqueológicos ,onde são encontrados os registros das populações pré-históricas do Brasil.O sambaqui de Camboinhas(Niterói-RJ) é considerado o mais antigo do Brasil, com cerca de 8 mil anos.
Lina Maria Kneip,arqueóloga do Museu Nacional/UFRJ , foi a primeira,a realizar pesquisas no local em 1979,
e foi responsável pelo projeto ?Pesquisas de Salvamento em Itaipu'', suas pesquisas foram interrompidas , devido ao seu falecimento,ao ser vítima de um atropelamento, por moto, em 26 de janeiro de 2002,no Distrito de Bacaxá - Saquarema(RJ).
O aldeamento do grupo de Guaranis-Mbya que vieram do município de Paraty(RJ),no sítio arqueológico Duna Pequena em Camboinhas,conta com apoio da FUNAI, FUNASA , Ministério Público dentre outros.
A criação da aldeia Tekoá Itarypú ''tekoá : jeito de ser Guarani,Ita:Pedra, Y :água ,pu: barulho,som ''.
Tem como objetivo a preservação do local, aumentando a qualidade de vida no entorno da lagoa, alem de melhorar as condições do meio ambiente e com a criação da escola , onde sera realizado o ensino de Guarani/Português , a indígenas e não indígenas,o espaço também sera destinado ao ensino da cultura indígena,previsto na Lei 11.465/08 que torna obrigatória, nas escolas, as aulas de história e cultura do povo indígena.

A luta dos indígenas no local, contra a degradação ambiental, ocorre desde 2002.
Uma parte desse patrimônio já foi perdida, por conta de construções irregulares, destruindo sitios arqueologicos e degradando cada vez mais o meio ambiente.Um dos representantes da aldeia declarou que 60 mil metros quadrados(6 hectares) foram deixados de fora do decreto de Sergio Cabral, que amplia o Parque Estadual da Serra da Tiririca, e engloba todas as áreas secas e úmidas no entorno da laguna de Itaipu.