O HD Radio é um padrão que foi desenvolvido por uma empresa chamada Ibiquity, é um padrão fechado, e possui taxas associadas a royalties e patentes muito superiores ao DRM.

O DRM é um padrão que foi desenvolvido por um consórcio de algumas das maiores empresas de comunicação do ramo, aliadas a rádios estatais e universidades europeias. É um padrão aberto e possui implementações de referência tanto da modulação quanto da demodulação, além de utilizar menos banda espectral que o HD Radio.

O HD Radio funciona nas faixas de Ondas Médias e VHF (FM), e o DRM funciona em todas as faixas de rádio do espectro (OL, OM, OC e VHF).

Apesar do padrão HD Radio ser tecnicamente inferior ao DRM, o lobby norte-americano associado a algumas doações da Ibiquity a grandes empresas de broadcast fez com que as grandes associações brasileiras de transmissão já tenham escolhido um lado para ficar: o do HD Radio.

Alguns desses defensores da "democratização da mídia" estão viajando e querendo propor um padrão novo, brasileiro. Propostas absurdas vêm circulando a algum tempo, e também circularam na Confecom e por isso fica evidente que esse grupo quer mais disputar poder e mostrar que é diferente dos que controlam a mídia do que pensar num sistema de radiodifusão realmente interessante no sentido de possibilitar uma tecnologia que permita integrar as pessoas de todas as partes do mundo.

Nesse contexto entra a posição que vem sendo construída por algumas pessoas de rádios livres desde o último encontro de Rádio Livres em outubro de 2009. Em primeiro lugar, a escolha do governo de não alocar uma nova faixa de frequência para o Rádio Digital foi boa, na medida em que essas rádios livres jamais teriam espaço num multiplex centralizado (no padrão DAB um único transmissor oficial emite várias rádios - autorizadas - em conjunto). Além disso, também está claro que o DRM é de longe o padrão no qual rádios livres e rádios de baixa potência em geral terão condições de operar no sistema digital.

O panorama atual da escolha do padrão é o seguinte: o Inmetro e a Anatel estão fazendo medições de recepção do rádio digital, algumas rádios estão testando o HD Radio (Kiss FM, por exemplo), outras rádios estão testando o DRM (Cultura AM, por exemplo), e o nosso ministro Hélio Costa afirma que em fevereiro irá anunciar o padrão de rádio digital brasileiro.

Pensando no futuro do rádio e lembrando de seu passado, no qual padrões mundialmente aceitos prevaleceram e possibilitaram que inúmeros movimentos sociais se expressassem e revoluções acontecessem, temos que defender o DRM!