Por isso convocamos todas e todos para o 1º GRANDE ATO CONTRA A TARIFA, na seunda-feira (02/02), com concentração a partir das 17h na boca maldita. Como sempre, a prefeitura alega que o aumento é inferior à inflação do período. Mas um direito pode ser medido pela inflação? O direito de se locomover não deve ter preço. Transporte não é mercadoria!

Cobrar pelo transporte - que deveria ser público de verdade - e ainda aumentar esse preço é uma escolha política pela exclusão de pessoas e em favor do lucro dos empresários de ônibus. Este aumento soa mais absurdo quando constatamos que a CPI da URBS provou que milhões foram desviados pelas empresas do transporte. Reduzir seu lucro exorbitante e cobrar o dinheiro roubado seria suficiente para manter o preço da tarifa ou até mesmo reduzi-la.

O passe livre estudantil é uma manobra da prefeitura para desmobilizar a luta pela Tarifa Zero mote da luta do povo, que foi às ruas em 2013. A medida ainda está longe do que é fundamental: enquanto o transporte continuar sendo tratado como mercadoria e enquanto houver tarifa e aumentos, haverá luta da população, se organizando e resistindo em cada canto da cidade! Não aceitaremos nenhum centavo a mais! Agora é congelar e zerar! A luta segue até tarifa zero para TODAS E TODOS! REDE CONTRA O TARIFAÇO

redecontraotarifaco@gmail.com