Leia a declaração de Haddad, no Estadão de 24/10: ?Fico no PT com orgulho Seria ruim para o Brasil não ter um partido com essas características sociais (...)?

O chamado PIG, o Partido da Imprensa Golpista, trabalha abertamente para tirar a Dilma do governo, acabar com o PT e também prender sua estrela maior que é Lula. Já utilizaram para atingir Lula, o filho, a nora e o amigo, só nessa operação Lava Jato.

A fórmula legítima prevista na democracia para a oposição conseguir seu intento seria a vontade popular, expressa através do voto. Mas o povo não quis Aécio, pois a maioria sabe que ele representa os ricos e o PIG. E, a julgar pelo ódio e foco da oposição, Lula deve ser o mais provável eleito em 2018. Para barrar isso só a prisão de Lula resolveria o problema deles.

Agora o PIG o usa, para destruir o PT, o seu esvaziamento, mostrando como opção a Rede, partido de Marina Silva. Lamentavelmente, até petistas e psolistas estão aderindo ao partido Rede de Sustentabilidade.

O PT é o principal partido da esquerda brasileira, e esse ódio da elite brasileira demonstra, sem sombra de dúvida, que o partido incomoda os ricos, e estão tentando enganar o povo, ora dizendo-se combater a corrupção com a operação Lava Jato, que só prende petista (e não prende nenhum tucano apesar de provas cabais), ora esvaziando o partido, ora passando notícias de que só Brasil está em crise, quando essa crise é mundial e o Brasil está muito melhor do que países mais desenvolvidos .

Não sei como um esquerdista pode vislumbrar fazer justiça social através da Rede, cujos principais sustentáculos do partido são o banco Itaú, de Neca Setubal, e da Natura, de Guilherme Leal. Sem esquecer que a Rede apoiou o tucano Aécio Neves, no segundo turno!?

E para que não reste nenhuma dúvida, Marina continua alinhada com o PSDB, único partido que ainda apoia o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Sobre Cunha, disse Marina, conforme jornal Valor de 21/10/15: ?Marina diz que renúncia de Cunha é decisão de foro íntimo. Para a Rede de Marina, se Cunha quiser continuar, pode!

Você acredita que nessa Rede, que cabe até o Cunha, vai sobrar espaço para políticas sociais? A verdadeira esquerda não pode cair nessa rede furada!


Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2015

OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

 http://emanuelcancella.blogspot.com.