https://www.facebook.com/events/1190770350952003/

O dia 26 de outubro é o dia nacional de lutas do Movimento Passe Livre. Essa data remonta às lutas e conquistas da Revolta da Catraca, que deram origem ao MPL.

Durante a semana do dia 26, inúmeras manifestações e atividades serão puxadas pelos coletivos do MPL em todo o país, a favor de um transporte verdadeiramente público e gerido pela população.

Muitas coisas mudaram no transporte em São Paulo. Passe de estudante, passe de desempregados, faixas exclusivas para ônibus, ciclovias. Mas continuamos indo e voltando da escola e do trabalho em ônibus e trens superlotados, mulheres são abusadas cotidianamente no transporte, o que é facilitado por essa superlotação, nossas linhas de ônibus são cortadas e nos obrigam a fazer mais e mais baldeações, esperamos várias filas para poder ir sentado no ônibus. Para piorar, quem luta por um transporte que seja do povo ainda é reprimido: os metroviários em luta por um transporte público de verdade seguem demitidos pelo Alckmin, que agora quer privatizar mais uma linha do Metrô, e o Haddad soltou o edital de concessão que decide como vai ser nosso ônibus e quanto os empresários lucrarão com ele: um contrato que custo 70 milhões e terá validade por 20 anos! Alguém te perguntou algo sobre isso? Alguém te perguntou que melhoras são importantes no transporte para melhorar o seu dia a dia?

Todos esses problemas acontecem e vão continuar acontecendo porque apesar de todas essas mudanças o transporte segue sendo tratado como uma mercadoria. O que ainda é importante é o lucro dos empresários, não nossa segurança e conforto. Quem decide o corte de linhas, quem decide como o transporte se estrutura, quem decide se o metrô vai ser privatizado, não somos nós que usamos e trabalhamos no transporte todo dia, mas sim os governantes e os empresários, que não conhecem nada da nossa realidade. Uma mudança fundamental não foi feita: o transporte deve ser de fato público, e o que é realmente público não tem cobrança direta. Assim como a saúde e a educação pública, o transporte não pode ser tarifado. A Tarifa Zero vai transformar a realidade do transporte que conhecemos hoje, não com mudanças pontuais, mas com uma mudança profunda e estrutural: o transporte vai servir as pessoas, e não os lucros.

Enquanto não houver Tarifa Zero, transporte de qualidade para as pessoas, enquanto a população e os trabalhadores não decidirem sobre seu próprio transporte, seguiremos nas ruas.

TARIFA ZERO JA!