Últimas Notícias

Últimas

In Code We Trust (I) - A blockchain entre a hype e o ceticismo

Em seu livro "Dívida: Os primeiro 5000 anos" David Graber relata a história de um soldado britânico[1] em Hong Kong, na década de 50, que certa vez pagara sua conta no bar com um cheque inglês. Um dia o soldado encontrou seu cheque nas mãos de um vendedor local, com várias pequenas rasuras no papel. Sem possibilidade de utilização, à princípio, os mercadores começaram a trocar o papel entre si, acrescentando suas assinaturas, sinal da confiança depositada nesse processo. O autor conclui logo em seguida que o valor da unidade da moeda não é o valor do objeto, mas a medida da confiança de uma pessoa em outra. O elemento de confiança no curso, continua o autor, é o que dificulta mais ainda a posição Chartanista - do Latim Charta, símbolo ou token - de fazer com que as pessoas continuem acreditando nesse charta. Mais ainda se falarmos no estabelecimento dessa confiança em escala global.

 

Read More

Primeiro de Maio é Marcado por Protesto no Rio

Manifestantes se concentraram na Praça Mauá, próximos ao Museu do Amanhã, por volta das 15 horas e denunciaram a intervenção federal que ocorre na cidade e as políticas elitistas do governo, que visam a retirada de direitos da classe trabalhadora.

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Bruno Alves é homenageado tendo seu nome no Restaurante Universitário da UERJ.

Ainda pela manhã, o ato concentrava-se em frente à fila do bandejão e os estudantes faziam falas homenageando Bruno Alves e sua luta. às 14:20 da tarde retiraram simbolicamente uma placa que homenageava Sérgio Cabral, Luis Fernando Pesão e o Antigo reitor Ricardo Vieiralves que dava a eles mérito pela construção do Restaurante Universitário. a placa foi retirada e substituída por uma em papel, provisória, nomeando o bandejão de "Restaurante Universitário Bruno Alves" em nome de sua luta por assistência estudantil na universidade.

Bruno estudava história. Era negro, cotista, pai, rapper, trabalhador, e ainda ativista pelas causas sociais que o diziam respeito. Sua luta é lembrada por muitos de seus amigos e companheiros de luta. O mesmo Bruno já foi baleado pela polícia militar que atirava com bala letal no contexto das Jornadas de Junho. Bruno também era distribuidor do Jornal A Voz da Favela que pertence à ANF que o acolheu e lamentou seu falecimento.

Após o ato, a placa que havia sido retirada foi entregue à instituição e o que se espera é que a placa provisória que homenageia o Bruno seja substituida por uma fixa mantendo a devida homenagem.

Bruno Alves, presente na luta!

Mais notícias sobre o falecimento: https://www.facebook.com/agenciadenoticiasdasfavelas/posts/1328501540605342

 

Um pouco mais sobre a ocupação do bandejão: https://midiaindependente.org/?q=node/370

Read More

Acampamento Terra Livre: Indígenas protestam por demarcação de terras

O Acampamento Terra Livre, que está na sua décima quinta edição, está acontecendo essa semana em Brasília reunindo cerca de 3500 pessoas de mais 100 etnias.  

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Rodoviários vão à Secretaria Municipal de Transporte exigir o fim da dupla função

No dia 24/04, Motoristas de ônibus e cobradores demitidos protestam em frente à Secretaria Municipal de Transportes em Botafogo para exigir a regulamentação e cumprimento da Lei 6304 que torna obrigatória a presença de um cobrador no transporte pú

Read More

Maricá - RJ: jovens são executados após roda cultural

Os jovens conversavam em uma área de convivência do condomínio minha casa minha vida quando os assassinos os mandaram deitar no chão e atiraram. Segundo testemunhas, um deles disse "aqui é milícia e vamos voltar".

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Marcha Marielle presente na Maré

Neste domingo, 18 de março, ocorreu mais um protesto pela morte de Marielle e seu motorista Anderson, dessa vez percorrendo ao redor da favela da Maré. O ato foi organizado por indivíduos e movimentos sociais da própria comunidade, indignados pelo brutal assassinado da vereadora nascida nesta favela.

Read More

Rio de Janeiro: senhor é agredido pela PM após ato pela morte de Marielle Franco

Rick Goodwin, jornalista de 65 anos, foi confundido por policiais militares com um manifestante que supostamente os teria irritado. Segundo testemunhas, o homem não fez nada que justificasse as agressões.

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Vereadora é morta após denúncias e gera revolta

Neste dia 14, a vereadora Marielle Franco, do PSOL-RJ, uma das mais votadas do município, foi assassinada enquanto voltava de um evento na Lapa. Segundo testemunhas, um carro emparelhou ao dela no bairro do Estácio e efetuou 9 disparos, matando a parlamentar e seu motorista Anderson Pedro Gomes, de 39 anos. Tudo indica uma execução.

Read More

I Seminário Autonomia & Organização

O I Seminário Autonomia e Organização foi marcado como uma iniciativa de construção coletiva e horizontal a partir de uma articulação política de diversos coletivos em bases autônomas que atuam em diversos campos de luta: política, social e econômica travadas local e nacionalmente.

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Estudantes e professores do colégio e. Ciep 339 protestam em frente à contra desmonte da educação

Um projeto de desmonte da educação pública é imposto à sociedade civil. Vemos isso ano após ano independente do governo que o propõe.

Read More

[Rio de Janeiro-RJ] Bloco da Ceguinha 2018: Guerreiro Como Sempre

Às 18h dessa quarta-feira 7 de fevereiro, a banda já estava lá esquentado os tamborins para mais uma edição do Bloco da Ceguinha, um evento crítico-recreativo tradicional de iniciativa da categoria serventuária (servidora pública do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro). Mas o evento conta ainda com a participação de pessoas de diversos setores da classe trabalhadora. Trata-se também duma forma de resistência cultural de incentivo ao Carnaval de rua, respeitoso, democrático, acessível a todo mundo. Uma resistência avessa a qualquer forma de elitização dessa importante festa popular, que hoje (em muitos eventos) fica confinada em clubes granfinos e sambódromos com ingressos caros. Entendemos como negativa a realização de baile de Carnaval a portas fechadas: evento acrítico e meramente recreativo, isolado da rua e do povo.

Read More

[Buenos Aires-AR] Memória e direitos ameaçados

A Associação das Mães da Praça de Maio, em Buenos Aires, vem sofrendo várias intervenções por parte do governo argentino. Nesta semana, uma equipe de oficiais de justiça tentou confiscar o arquivo da organização, que guarda documentos dos desaparecidos políticos da última ditadura cívico-militar. A ação foi considerada abusiva e ilegal pela presidente da entidade, Hebe Bonafini, ativista histórica, que aos 90 anos continua na luta por justiça, memória e liberdade.

Read More

[México] As comunidades indígenas do México na ofensiva: autonomia, o conselho indígena de governo e a candidatura de Marichuy

Pela primeira vez no México serão aceitos candidatos/as independentes para concorrer à presidência.

Read More

[São Paulo - SP] 3º Grande Ato Contra o Aumento das Tarifas

O Prefake Dória fechou a rua da casa dele, onde deveria ter sido a concentração do Segundo Grande Ato Contra o Aumento, e tentou impedir que o ato acontecesse, mas nós não estamos

Read More

[São Paulo - SP] Cobertura do Primeiro Grande Ato Contra o Aumento da Tarifa em 2018

O Primeiro Grande Ato Contra o Aumento da Tarifa do ano começou com chuva no Teatro Municipal e terminou com bombas e agressões no Brás.

Mas o povo mostrou que está na luta e não vai sair das ruas enquanto a tarifa não baixar!

Read More

[São Paulo - SP] Chamado do Segundo Grande Ato Contra o Aumento da Tarifa

O Primeiro Grande Ato Contra o Aumento foi bonito e empolgante! Compusemos 10 mil pessoas em ato, sendo que umas 20 mil passaram por ele pra fortalecer. No Terminal Pq.

Read More

[São Paulo - SP] Chamado do Primeiro Grande Ato Contra o Aumento da Tarifa 2018

Se ontem o prefeito empresário e seu padrinho governador anunciaram mais um aumento no transporte, hoje já avisamos que vamos travar resistência a tarifa!

Read More

Rio de Janeiro-RJ: Moradores da favela da Mangueira têm suas casas violadas e são presos arbitrariamente

Na manhã desta terça-feira(09/01) um militante do movimento social ADEP, junto de mais dois familiares e moradores da mangueira foram vítimas de uma violação ilegal ao seu domicílio.

Read More

Páginas