Seja Voluntária/o

O que é o Centro de Mídia Independente?

O Centro de Mídia Independente é uma rede internacional de produtoras e produtores independentes de mídia, pessoas preocupadas e comprometidas com a construção de uma sociedade livre, igualitária e que respeite o meio ambiente.

Ele foi criado originalmente em Seattle, como uma forma alternativa de cobrir os eventos que levaram ao malogro do "Encontro do Milênio" da OMC (Organização Mundial do Comércio) em Novembro de 1999. A idéia era de ter um site na Internet que recebesse e armazenasse, vídeos, imagens, áudios e textos que poderiam ser publicados e reproduzidos sem copyright por qualquer pessoa ou qualquer órgão de mídia independente sem fins comerciais. O que era um site de jornalistas independentes tornou-se também um site em que as pessoas que estavam se manifestando se faziam ouvir. As pessoas começaram a publicar suas histórias e disponibilizar as imagens de vídeo, os áudios e entrevistas que haviam produzido. À medida que os protestos "antiglobalização" foram se espalhando pelo mundo, os Centros de Mídia Independente foram sendo criados em toda a parte onde os "novos movimentos" eclodiam. No auge da rede Indymedia existiram mais de cento e oitenta Centros de Mídia Independente em mais de cinquenta países, em todos os continentes.

O Centro de Mídia Independente do Brasil, nasceu como desdobramento da organização do movimento antiglobalização em São Paulo que havia promovido um protesto no dia 26 de Setembro de 2000 (S26) quando se reuniram em Praga, o FMI e o Banco Mundial. Em dezembro de 2000, o site do Centro de Mídia Independente do Brasil foi ao ar e, desde então, tem se esforçado para "cobrir" eventos ligados à luta social. O Centro de Mídia Independente é um projeto sem fins comerciais totalmente feito por voluntárias e voluntários.

 

Como se organiza o Centro de Mídia Independente no Brasil?

Cerca de um ano depois que o coletivo de São Paulo se formou, novos grupos começaram a se voluntariar para constituírem coletivos editoriais em suas cidades. Dezenas de cidades já possuíram ou ainda possuem coletivos articulados, os coletivos ativos encontram-se listados abaixo. Cada coletivo desenvolve projetos locais e todos eles, coletivamente, participam da gestão do site. Todos os coletivos se organizam sem hierarquia e têm o compromisso de aceitar os princípios e a política editorial. Para se constituir formalmente, cada coletivo precisa de pelo menos três pessoas voluntárias, sendo que podem participar dos coletivos tech, editorial, tradução, listas, vídeo e áudio, ou com disposição de aprender. No entanto, qualquer grupo menor ou pessoa pode contribuir participando dos diversos projetos.

 

Quais são os projetos do Centro de Mídia Independente?

O Centro de Mídia Independente tem muitos projetos. Em primeiro lugar, há o site que pretende ser, não um projeto exclusivamente ligado à Internet, mas uma ponte entre a alta tecnologia (Internet) e as tecnologias tradicionais de mídia (principalmente informativo, rádio e jornal). A idéia é aliar as possibilidades técnicas da Internet à difusão de informações por meios tradicionais. Assim, por exemplo, são armazenados arquivos de áudio no site que são depois veiculados em rádios livres e comunitárias; alguns coletivos da rede CMI Brasil também elaboram boletins de notícias que são enviados para rádios que o utilizam como noticias radiofônicas comunitárias. O mesmo procedimento é utilizado na elaboração de jornais tradicionais, como o foi o "Ação Direta", ou jornais-poste como o "CMI na Rua", "O POSTe" ou outro nome que escolherem informando os demais na rede. Os Centros de Mídia Independente também produzem periodicamente documentários. Alguns dos vídeos produzidos pela rede CMI Brasil foram "Não começou em Seattle, não vai terminar em Québec" (sobre protestos contra a ALCA em São Paulo), "Anita Garibaldi" (sobre a maior ocupação urbana do Brasil) e "Repórteres Populares" (sobre a formação de repórteres em movimentos sociais), além de diversos outros de cobertura de eventos de movimentos sociais, protestos etc.

 

Como você pode participar

Você pode ajudar de várias maneiras dependendo da sua capacidade e da sua disponibilidade de tempo. Você pode apenas ser uma contribuidora ou contribuidor eventual, publicando de tempos em tempos artigos no site. Se você gosta de escrever e quer fazer reportagens investigativas e cobertura de eventos, você pode participar dos coletivos editoriais e de difusão. Você pode também ajudar com traduções periódicas. O Centro de Mídia Independente é uma rede mundial que produz uma grande quantidade de boas matérias e precisamos periodicamente de tradutoras e tradutores, tanto de línguas estrangeiras para o português, como do português para línguas estrangeiras. Se você entende um pouco de informática (sabe administrar um site em Drupal ou um servidor de listas), você pode oferecer auxílio técnico na manutenção do site e de nossas listas de emails. Você também pode se envolver com quaisquer dos projetos existentes ou ainda criar um novo.

 

Além disso, você pode entrar em contato diretamente com os coletivos locais já formados:

Rio de Janeiro, escreva para cmi-rio@riseup.net

São Paulo, escreva para cmi_saopaulo@riseup.net 

CMI Tefé (AM): Acesse o site: CMI e Rádio Livre

Brasília, escreva para cmi-df@riseup.net