Rio de Janeiro-RJ: Movimentos se reúnem para discutir estratégias de interesse popular para eleições

Rio de Janeiro-RJ: Movimentos se reúnem para discutir estratégias de interesse popular para eleições

Setembro 07, 2016 - 23:58
Publicado em:

No dia 07 de setembro, em pleno feriado patriótico, a Articulação de Grupos Autônomos (AGA) se reuniu com outros movimentos, para discutir o posicionamento e as estratégias para estas eleições, que estejam de acordo com interesses populares, em vez de reforçar os interesses dos poucos proprietários e gerentes do estado brasileiro.

Para este debate, a AGA convidou três campanhas que têm como proposta, não a eleição de um candidato, mas para a formação de um governo popular. Após a apresentação das campanhas foi aberto o debate para todos os participantes do evento. Os participantes do evento ainda elaboraram um texto com os resultados da discussão e um panfleto para o diálogo com a população.

Seguem abaixo o texto de resumo da discussão e o panfleto que pode ser baixado em versão PDF e PNG para quem quiser divulgar em suas páginas ou imprimir para distribuir.

 


DISCUSSÃO SOBRE A TÁTICA ELEITORAL

DATA: 07 DE SETEMBRO DE 2016

A partir de uma iniciativa da Articulação de Grupos Autônomos (AGA) existente aqui no Rio e Grande Rio, foi convocada uma plenária com vários grupos e principalmente as 3 campanhas (Poder Popular, Não Vote, Reaja e Outra Campanha), com o objetivo de discutir a tática eleitoral para as próximas eleições. Por meio de um texto disparador que aborda a questão eleitoral desde o princípio, passando pela formação dos governos, justiça, ideologia, a formação do capitalismo e os verdadeiros objetivos nefastos das eleições, até os dias de hoje.

A plenária foi unânime em adotar a tática eleitoral de não votar e de se fazer algo após as eleições, ou seja, contribuir na organização do povo nos nossos espaços, nossas bases, locais de trabalho, estudo e moradia, para aos poucos irmos construindo o poder popular e, a partir daí, conquistarmos um governo popular onde a economia seja coletiva, autogestionária, a política seja participativa (direta) e a ideologia seja socialista (comunitária). Para isso temos que cair em campo e executar as seguintes táticas:

1) Fazer um trabalho sistemático de conscientização para que as pessoas compreendam a ilusão e a farsa que são as eleições burguesas, seja em época de eleições ou fora dela.

2) Organizar grupos que trilhem no sentido contrário ao capitalismo, ou seja, saindo do individual para o coletivo. Os grupos podem se organizar nos aspectos econômicos (comércio, indústria e serviços), cultural, saúde, esporte, arte, lazer, escolas etc. Desde que se mantenham articulados para troca de experiências e formação de uma frente unitária e autônoma.

A conjuntura está favorável, estamos diante de um governo que é inimigo claro do povo. Mas se não construirmos alternativas a partir da base de forma autônoma e independente, as massas populares continuarão sendo iludidas de que a solução para todos os problemas do povo estão nas mãos de um "político bom", ao invés da organização do poder popular.

Ao nosso ver, quem participa das eleições concorda que quem for ganhar vai e deve governar o povo. Só que não achamos que qualquer pessoa que assuma o governo, de fato defenderia os interesses das pessoas comuns. Como não concordamos com as regras desse jogo, não votamos. Isso em nada quer dizer que não nos preocupamos com a política, muito pelo contrário: nos preocupamos tanto, queremos tanto a transformação real, rumo a uma sociedade mais justa, que acreditamos que a política se faz no dia a dia, em ocupações, favelas e bairros, entre trabalhadoras e trabalhadores, movimentos sociais, no campo e na cidade, e não se reduz ao voto e muito menos é feita com alguns supostamente representando os interesses dos outros. Precisamos de um governo sim, mas de um governo de nós para nós, precisamos nos auto-organizar e autogovernar.

Como os nossos sonhos, nosso voto pela transformação, pela emancipação e pela luta, não cabem nas urnas.

Não vote! Sonhe, lute, resista!

 


PANFLETO PARA DIVULGAÇÃO


Clique aqui para baixar o panfleto em PDF.