Rio de Janeiro-RJ: MPL-Rio realiza mais um ato CONTRA O AUMENTO

Rio de Janeiro-RJ: MPL-Rio realiza mais um ato CONTRA O AUMENTO

Janeiro 07, 2017 - 19:22
Publicado em:
0 comments

Nesta sexta-feira, 06 de janeiro, manifestantes se reuniram em ato, puxado pelo Movimento Passe Livre do Rio de Janeiro, contra o aumento da passagem e o corte do Bilhete Único. O protesto saiu em direção à Cinelândia, passando pela Candelária, enquanto panfletos denunciando os problemas do transporte eram distribuídos para a população.

Pouco tempo depois da saída do ato, três vans da Guarda Municipal chegaram em alta velocidade, saindo guardas que empurraram manifestantes na intenção de liberarem metade da via para o trânsito.

Ao chegarem ao lado da Igreja da Candelária, os Guardas utilizaram as próprias vans para empurrarem as/os manifestantes. Algumas pessoas chegaram a bater no carro e a gritarem para que ninguém fosse atropelado. Depois o ato seguiu pela avenida Rio Branco, encerrando na praça da Cinelândia.

QUESTÃO DO TRANSPORTE

O Movimento Passe Livre denuncia que o Governo do Estado forneceu R$ 138 bilhões em desoneração às empresas de ônibus, além de já contarem com um desconto de 50% no IPVA dos ônibus. A empresa que administra os cartões RioCard e Bilhete Único (ligada às empresas de ônibus) também já desviou R$ 90 milhões da população em créditos expirados dos cartões.

Até o ano passado, foram mais de 150 linhas de ônibus cortadas na cidade do Rio de Janeiro e muitas linhas não possuem mais a função do cobrador, obrigando o motorista do ônibus a trabalhar em dupla função, aumentando a exploração e os riscos de acidentes, sem redução do valor das passagens pelo corte de funcionários.

Nos últimos aumentos, as empresas utilizaram como desculpa a obrigatoriedade de implantação de ar condicionados até 2016 para toda a frota de ônibus, no entanto, a maior parte dos ônibus ainda não possui o ar condicionado.

Com a instalação dos BRTs, as empresas também tiveram uma redução nos custos de operação em mais de 30%, além da redução das frotas de ônibus que levaram ao corte de mais de 150 linhas, reduzindo os custos para as empresas sem redução da passagem.

Em 2013 a câmara municipal do Rio de Janeiro e também de Niterói fizeram CPIs dos ônibus, descobrindo grandes irregularidades e esquemas de corrupção, superfaturamento entre outras, mas nenhuma empresa foi punida e os aumentos continuaram.

Em 2013 o Tribunal de Contas do Município do Rio (TCM-RJ) determinou que a passagem dos ônibus deveria ser reduzida para R$ 2,50, baseado na planilha de custos fornecidos pelas próprias empresas. Vale lembrar ainda que não há nenhuma fiscalização na forma como esses cálculos são feitos, podendo significar, inclusive, que o valor da passagem deveria ser ainda menor. Apesar da determinação do TCM não houve redução e a passagem continuou sofrendo aumentos.

Este ano já houve o aumento do valor do Bilhete ÚNICO passando de R$6,50 para R$8,00. O aumento do trem para R$4,20 está programado para o dia 08 de fevereiro e as barcas também vão aumentar para R$5,90 em fevereiro.

GOVERNO MUNICIPAL

Segundo pronunciamento do Secretário de Transportes do atual governo municipal, por enquanto, não haverá aumento no valor dos ônibus e que a prefeitura fará uma conversa de negociação com as empresas. O Secretário denunciou em entrevista que é certo que as empresas estão faturando muito mais do que admitem e que o aumento da passagem diminui o número de passageiros, necessitando novos aumentos.

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.