Lançamento do novo site do CMI Brasil. Seguimos na luta!

Lançamento do novo site do CMI Brasil. Seguimos na luta!

Março 06, 2017 - 00:14
2 comments

O Centro de Mídia Independente do Brasil acaba de lançar seu novo site após 16 anos de existência. A rede Indymedia, da qual o CMI Brasil faz parte, surgiu em 1999 como uma rede de produtoras e produtores independentes com o lema “Odeia a mídia? Seja a mídia!". Desde então, vem buscando oferecer “informação alternativa e crítica de qualidade, que contribua para a construção de uma sociedade livre, igualitária, mais justa, solidária e que respeite o meio ambiente”. Defende também a liberdade de acesso e produção de conhecimento, para contribuir com a concretização daqueles ideais.

O nascimento da rede CMI foi um marco na história da comunicação mundial, pois foi pioneira na invenção de softwares e na organização de coletivos que tornaram possível a proliferação de sites de publicação aberta para os movimentos sociais, ou seja, espaços de jornalismo na Internet onde são os próprios leitores publicam a informação. Vale lembrar que, naquela época, ainda não existiam blogs e redes sociais e os espaços livres de publicação aberta foramfundamentais para o avanço das lutas de diversos movimentos sociais.

No Brasil, os coletivos do CMI se organizaram em torno do site midiaindependente.org, que foi ao ar em dezembro de 2000, quando dxs usuárixs com a Internet era passiva. Sua principal característica foi a publicação aberta, que permitia a qualquer pessoa a publicação de seu artigo, foto ou vídeo, rompendo o papel passivo imposto pela mídia coorporativa e transformando a prática midiática.

Com o passar dos anos, a realidade tecnológica mudou. Hoje qualquer pessoa pode criar um perfil em redes sociais, blogs, comentar sites de notícias e, dessa forma, expressar suas ideias e mostrar sua produção. A publicação aberta e outras formas de interatividade se tornaram a principal característica da Internet. Porém, trata-se de uma liberdade falsa ou limitada, pois quase toda a interação na Internet é controlada por um pequeno grupo de corporações que guardam e usam toda a informação produzida, além da censura de conteúdos e bloqueio de usuárixs por motivos políticos.

O CMI sempre teve como preocupação em garantir a segurança dxs usuárixs, e outro princípio fundamental é que tanto a segurança como a liberdade de expressão somente são possíveis quando há autonomia de infraestrutura e utilização de softwares livres. O armazenamento autônomo de dados garante também a memória de anos de luta. Agora que os sites comerciais fazem aumentar extraordinariamente a espionagem corporativa e estatal, bem como a exploração comercial das informações fornecidas por usuárixs ativos, esses princípios se tornaram ainda mais evidentes e urgentes.

O novo site não possui mais o mecanismo de publicação aberta mas mantém o seu compromisso em ajudar a descentralizar a oportunidade para que ativistas publicarem de forma soberana, sem os filtros obscuros da corporações comerciais. Isso será feito através de redes de confiança tecidas entre os coletivos do CMI e os diversos movimentos sociais.

Convidamos ativistas e movimentos a publicar neste espaço seus textos, vídeos, áudios e fotos, partilhando informações num espaço comum, enquanto o CMI trabalha para garantir a segurança. Para participar ou publicar basta procurar o coletivo do CMI mais próximo da sua cidade ou criar um novo coletivo local. Atualmente estamos no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Curitiba, Tefé e Salvador. Veja nossa página Seja Voluntária/o ou entre em Contato conosco.

Seguimos na luta,

Odeia a Mídia? Seja a mídia!

Centro de Mídia Independente Brasil

There are 2 Comments

É preciso reinventar o papel da mídia no sec. XXI. Aquele desenvolvido, estabelecido e explorado pelos jornalões e centrais de noticias editadas, faliu! Assim, toda a nova iniciativa é e será bem-vinda!

"Atualmente estamos no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Curitiba, Tefé e Salvador"

E o que aconteceu com os demais grupos? Por quê houve um racha no CMI Brasil? Por quê quase 100% dos artigos publicados são do Rio de Janeiro?

Por quê o CMI deixou de ser anti-imperialista? Por quê foi criada um noco "site" e não uma nova "página"?

São caboclos querendo ser ingleses!

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de sites e e-mails serão transformados em links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são gerados automaticamente.